sexta-feira, 8 de março de 2013

Carla e o noivo da irmã, parte II


           Após nossa primeira transa com o noivo da imã, a amizade entre nos só aumentou e consequentemente a cumplicidade também, tanto que rolou um namorinho entre eles, durante o dia ficava com a noiva e dormia em nossa casa. Mas desses encontros, que aliás, foram ótimos, ressaltaremos uma viagem familiar  que ocorreu em meados de 2009, em que fomos para o litoral nordestino eu, Carla, o noivo, a noiva e os pais delas.
Claro, ficamos os quatro num flat no 14º andar, com sacada de frente para o mar, enquanto que os demais parentes ficaram no 3º andar. Chegamos ao hotel por volta das 15h e achamos melhor ficar na praia mais próxima, devido ao cansaço da viagem. Logo já começamos com a cervejinha e de imediato a Carla já começou a se soltar, toda sexy com um mini biquíni vermelho e eu, como bom corninho que sou, já comecei a imaginar a nossa noite com o noivo e noiva em nosso quarto.
Por volta das 18h retornamos ao hotel e após todos tomarem banho, nos reunimos na sacada de nosso flat e a conversa varou a noite, até que meus sogros foram dormir, momento que meu tesão só aumentou, imaginando o que poderia ocorrer, porém, para variar, a noiva logo começou a reclamar e foi dormir, deixando só os 3 na sacada.
Continuamos por mais um bom tempo ali, até que o noivo foi ao banheiro, instante que Carla me perguntou se eu estava com tesão, porque segundo ela, estava com muito.........kkkk
Logo que ele retornou, Carla também foi ao banheiro e após ela, foi minha vez e é claro, fiz uma cerinha. Ao retornar, já flagrei Carla sentada no colo dele e me juntei a eles na sacada, vendo ele louco de tesão por ela, com beijos de língua ardentes e tesudos, com direito a mordidinhas e declarações ao pé do ouvido, até arredando a calcinha com os dedos lhe provocando, sempre virados para o corninho.
Mesmo sendo muita safada e com todo aquele clima gostoso, Carla não deixou de se preocupar com a irmã, que dormia a poucos metros de nós, então com a carinha mais sapeca do mundo, ela me olhou e pediu com aquele jeitinho: “ Amor, você pode vigiar sua cunhadinha, enquanto eu cuido do meu cunhadinho?”, claro que nem precisei responder, me levantei e fiquei na porta, com um olho na cunhada e outro neles, que ficaram bem mais a vontade, tanto que em instantes já estavam semi nus e as carícias começaram a esquentar, com longas e provocantes chupadas, até que tive que interrompê-los, pois a cunhadinha se mexia na cama e despertava.
Rapidamente eles se vestiram e antes que a cunhada chegasse à sacada, já estávamos compostos, rsrs e ela com uma cara de brava disse: “Vocês não vão dormir? Principalmente você (noivo), venha dormir agora” e rapidamente ela voltou para cama e como não queríamos problemas, deixamos o cunhado ir deitar, mas ao despedirmos, a Carla falou algo em seu ouvido, o que me deixou louco, mas ela não quis me contar.
Ficamos nos pegando na sacada, depois fomos para nosso quarto, começamos a fazer amor e de forma alguma ela me falava o que disse no ouvido dele, só me pedia para aguardar um pouco que em breve eu veria o quanto ela é safada. Após uns 30 minutos, ela se levantou e disse: “venha corninho, venha ver do que sou capaz”. Saiu do quarto e eu fui atrás.
Ela se aproximou da cama onde eles dormiam e se posicionou ao lado, tirando o lençol dele e em seguida seu pau para fora da cueca, passando a chupá-lo, até que ele despertasse do sono e antes que se assustasse, ela colocou a mão em sua boca e continuou. Após se acalmar, ele começou a aproveitar o momento, tendo uma irmã lhe chupando e olhando para a outra que dormia ao seu lado, cena que quase levou este corninho ao gozo e que não sai da cabeça até hoje.
Percebendo que o noivo estava louco para gozar, devido aos gemidos e contorcionismos do corpo, Carla deitou se no chão ao lado da cama, num espaço de no máximo 1,5 metros. O noivo levantou-se vagarosamente e olhando para mim sussurrou: “ela é muito puta”, e em seguida deitou-se lentamente sobre ela, na posição papai mamãe, claro, o namoro e a confiança entre nós já era muito, por isso não usava camisinha. Ele começou com movimentos lentos e silenciosos, mas à medida que a vontade de gozar em ambos se aproximava, eles se esqueciam de onde estavam e os gemidos e barulhos aumentavam, sendo repreendidos por este corninho, que além de assistir a uma das cenas mais excitantes para um marido vouyer, ainda monitorava o sono da cunhada.
Como eles já se conheciam bem, quando ambos perceberam que já podiam gozar, eles trocaram de posição, ficando ele deitado no chão e a Carla cavalgando, na posição que mais gosta e neste momento a visão deles ficou magnífica. O rosto dela ficou na altura da cama, ao lado da irmã e de frente para mim, que naquele momento já havia gozado umas 3 vezes e mesmo com o pau doendo, continuava punhetando, não perdendo um só detalhe, rsrs.
E quando eu achava que a noite não podia ficar melhor e a Carla já estava no seu limite de safadeza, ela surpreendeu a todos, acreditem, ela começou a acariciar os seios da irmã, puxando cuidadosamente o babydool e tocando delicadamente os seios dela, enquanto cavalgava no pau do noivo. Ele ao perceber parou de socar, deixando ela livre sobre ele, fazendo com que ela cavalgasse bem devagar, enquanto ela tocava nos seios da irmã, até que ela se inclinou e começou a dar selinhos nos seios, que rapidamente se tornaram chupadinhas, fazendo com que os bicos ficassem pontudos.
Fiquei muito nervoso com aquilo, com muito medo da irmã acordar, mas fiquei com muito mais tesão vendo aquela loucura e me lembrei que a irmã tinha o sono pesado. O noivo vendo tudo aquilo não resistiu e sem que ele ou Carla se mexessem, ele gozou lenta e silenciosamente. Com certeza, mesmo estando dormindo, a irmã ficou com tesão, pois além dos bicos do seios terem ficado durinhos, ela passou a se mexer com claros sinais de prazer.
Carla percebendo que a irmã se contorcia, levou sua mão até a bucetinha dela e passou a acariciá-la, o que comprovou com nitidez como a ela estava com excitada, pois sem nenhuma resistência ela abriu as pernas e começou a gemer bem baixinho. Com tudo isso sobre ele, rapidinho o noivo começou a se mexer, fazendo com que Carla cavalgasse novamente e quando os 3 pareciam querer gozar, Carla se levantou, deixando eu e o noivo sem entender nada. Ela caminhou em minha direção e chamou o noivo, nos dizendo que se a irmã gozasse, ela iria acordar, então achou melhor parar.
Carla se sentou num sofá de frente a cama e pediu ao noivo que lhe desse leitinho no rosto e passou a chupá-lo muiiiiiiiiito, até que ele não resistiu e gozou em seu rosto e seios, melhor dizendo, em todo seu corpo, pois o noivo tinha o gozo farto e melhor, era muito viril, tanto que o pau dele ainda ficou latejando. Momento que Carla mesmo com o rostinho lambuzado lhe beijou e pediu para que ele transasse com a irmã para que nos víssemos.
Apagamos a luz da sala que clareava o quarto, Carla e eu ficamos na escuridão, enquanto o noivo deitava-se na cama e chupava a noiva, até que os gemidos aumentarem. Em seguida ele deitou do seu ladinho pressionando seu clitóris, até ela acordar, em gozo frenético, tendo eu e Carla como espectadores ocultos, que além de ver aquele casal em chamas, nos acariciávamos e nos beijávamos muito, até que eles terminaram e foram para o banho.
Carla e eu fomos para nosso quarto e é claro que fizemos amor gostoso e sem sombra de dúvidas, aquela foi a noite mais gostosa que vivemos e que infelizmente foi uma das últimas, pois o noivado não vingou e ele viajou para longe, mas é claro, pensamos nele sempre e esperamos ainda encontrá-lo.

 Abraços Luiz...

Leiam nosso perfil e encontrará nosso contato.        


quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Carla e o noivo da irmã!!!!


Como é de conhecimento de todos que nos acompanham, puderam perceber que a safadeza de Carla foi aflorando aos poucos, fato é, que após ficar com o nosso padrinho de casamento, as coisas entre nós ficaram bem definidas “Puta e Corno” embora achamos os termos um pouco chulos, mas retrata a realidade. Na época (2009), saímos com alguns homens e casais, tiveram até duas mulheres, mas como já disse, retrataremos aqui nossa maior fantasia, que é o ménage masculino.
Não há um dia que não a imagino com outros (o que não significa que sou gay, sou 100% hétero), fantasio mais com pessoas do nosso meio e há uns 3 anos  tínhamos um grande amigo, o noivo da irmã de Carla, um homem maravilhoso, muito gente boa que sempre nos demos muito bem. Eu e ele começamos com uma amizade discreta, corríamos juntos e aos poucos ele foi se soltando no assunto “sexo”, após um tempo tomamos mais liberdade e o assunto fluía naturalmente, sendo assim a amizade entre ele e Carla também cresceu, saíamos sempre juntos, baladas, bares, etc.
Até que numa época o romance entre ele e a noiva, irmã de Carla, esfriou. Ela estava muito fresca e é claro que nós ficávamos sabendo de tudo, ele vivia reclamando da falta de sexo e realmente estava difícil de suportar a menina viu!!!!!!!!
Como ele era muito bacana não pude deixar de imaginar um ménage com ele, ainda mais naquele momento, então ao fazer amor com Carla começamos a imaginar um ménage com ele e posteriormente comecei a tentar convencer Carla a seduzi-lo.
            Então, certo dia, como de costume ele e a noiva foram dormir em nossa casa e após umas bebidas o clima começou a ficar gostoso, porém a irmã de Carla arrumou uma dor de cabeça e depois de muita chatisse foi dormir, enquanto ele foi levá-la para o quarto, eu e Carla fomos até a varanda e ela disse que estava com muita raiva da frescuragem da irmã, disse até que dava vontade de seduzi-lo e eu como bom marido logo indaguei, “porque não faz isso???” Ela sorriu e perguntou se era serio, eu disse que sim e ela perguntou “como?”, eu respondi para deixarmos rolar, claro, que ela não deixasse de ser ousada.
            Retornamos para a mesa de baralho e após algumas bebidas eu sugeri que jogássemos valendo, eles perguntaram “valendo o que?” e eu disse “que tal vira-vira” e eles toparam.
            Esforcei-me ao máximo e ganhei a maioria das vezes, era o jogo 21, então mandava que eles virassem o copo cheio de cerveja, quando percebi que estavam no ponto eu sugeri que começássemos a tirar peças de roupas, eles toparam.
            A partir daí comecei a jogar contra a Carla, é claro, rsrsrsrs e como os dois estavam mais bêbados, foi fácil trapacear e manipular o jogo como eu quis, fui ganhando e tirando as roupas à medida que queria, cada momento de um diferente, as vezes perdia, para que ela fizesse um pedido, que sempre era em cima dele e deixei ele ganhar muito, pois ele sempre pedia para ela tirar algo, até o ponto que ficamos os três seminus, eu e ele de cueca e Carla de calcinha e sutiã, só que eu percebi que ele estava meio travado e eu não podia mandar a Carla ficar nua de uma vez, então eu tive uma idéia pra descontrair, facilmente eu ganhei e como na época a música do creu estava no auge, eu pedi que Carla dançasse pra nós.
            Enquanto ela arrumava o som eu fui ao banheiro e aproveitei pra verificar se a cunhadinha estava dormindo, rsrsrs, após a confirmação, voltei e Carla começou a dançar de calcinha e sutiã entre eu e ele, como vocês acompanham no sexlog, a Carla adora calcinha minúscula, então imaginem a cena que o amigo estava vendo, ela descia até o chão, e na velocidade 5 tremia muito o bumbum, quando a música acabou não sabia qual de nós 2 estava com o pau mais duro. kkkkkkk
            Na próxima rodada ele ganhou e a mandou tirar o sutiã, após atendê-lo, ela sorriu e perguntou se era só para tirar, se ele não queria tocar? Ele muito envergonhado e olhando para mim, perguntou se podia, e eu concordei. Foi um toque rápido, sem muita carícia, ele estava muito tenso. Em seguida eu ganhei, e como só faltava a calcinha, mandei que ela a tirasse, ela como uma boa putinha, atendeu prontamente, e  novamente ela perguntou se era só para tirar, então eu disse que se quisesse, poderia dançar o creu novamente. Ela com uma carinha bem safada, perguntou ao nosso amigo se ele gostaria de vê-la dançar, ele muito sem graça, disse que sim, então ela dançou o creu nuazinha para nós, sempre com o bumbum voltado para ele (imaginem a cena, rsrsrs). Quando terminou, eu e ele estávamos hipnotizados, então ela saiu da sala e eu perguntei a ele o que achou, ele disse que éramos loucos, mas com um sorriso safado no rosto.
            Ela então voltou nuazinha e disse, “eu sou o prêmio, quem ganhou??” Eu mais que depressa disse que tinha sido ele, ela perguntou se iria querer o seu prêmio, ele disse que sim, então ela subiu na mesa e deitou na frente dele, que ainda estava sentado na cadeira, ela  mandou que ele saboreasse sua vitória, abriu as pernas para ele, enquanto recebia uma chupada deliciosa, olhou para mim e disse “e você seu corno, vá vigiar a fresca da minha irmã enquanto eu aproveito o macho dela”, saí da sala e deixei aquela cena linda, ela deitada na mesa com a cabeça dele entre suas pernas.
            Depois de uns 10 minutos que estava vigiando a cunhada, ouvi eles me chamando, quando cheguei na sala vi uma das cenas mais gostosas da minha vida, ele pelado com uma cara de envergonhado (kkkkkk) e Carla com o rostinho e os seios cheios de porra, então eu disse: “já???????” e ele mais que depressa, respondeu “estava num puta tesão, não transava a mais de mês e recebi a melhor chupada da minha vida, não deu pra segurar”. Caímos todos na gargalhada e o clima ficou tranquilo. Após um banho ainda ficamos conversando na sala, ele nos disse o que estava passando e é claro, que fomos solidários a partir dali, rsrsrs, e em breve haverá outros relatos de nossa deliciosa amizade e para deixar um gostinho de quero mais para os leitores, adianto que houve uma vez que transamos os 3 ao lado da cama da irmã.   

            Abraços Luiz....

Leiam nosso perfil e encontrará nosso contato.